As nuvens e os nevoeiros. Classificação, Tipos e nomes das nuvens.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Conheça os nomes dos principais tipos de nuvens. Veja uma breve descrição de como são na aparência, onde se localizam em altitude e qual a forma de desenvolvimento de todos eles.


Nuvem cumulus no céu de Brasilia
by Roberto M.
Já tivemos oportunidade, em outros artigos, de falar sobre o ciclo da água na natureza, dos vários tipos de precipitação, da umidade do ar, das massas de ar, dos ventos e de outras coisas relativas à nossa atmosfera.
Hoje vamos falar sobre as nuvens e os nevoeiros e sobre a classificação, nomes e tipos de nuvens.

Como já visto no artigo sobre o ciclo hidrológico, é a condensação do vapor de água presente na atmosfera que dá origem às nuvens e aos nevoeiros. Basicamente, eles são formados por gotículas de água mais leves do que o ar.

DIFERENÇA ENTRE NUVEM E NEVOEIRO

Para simplificar a definição, podemos dizer que:

Nuvens: a condensação ocorre bem acima da superfície da terra.
Nevoeiro ou neblina: a condensação ocorre perto do solo.

Com o passar do tempo, sabemos que tanto os nevoeiros como as nuvens precipitam, a água que contêm, no solo novamente.
Os nevoeiros, também chamados de neblinas, perdem a água quando entram em contato com as superfícies frias da terra (folhas de plantas, para-brisas de automóveis, janelas das casas, etc.) formando os orvalhos e as geadas.
As nuvens, quando há uma concentração de gotículas de água que se juntam e ficam mais pesadas, acabam perdendo sua água para o solo através das chuvas que caem.

Normalmente, as nuvens são classificadas por três critérios: pela aparência, pela forma de desenvolvimento e pela altitude em que se encontram.

CLASSIFICAÇÃO DAS NUVENS PELA APARÊNCIA

Com base no critério da aparência podemos classificar as nuvens em três tipos:

Cirros: são nuvens fibrosas, altas, brancas e finas
Cúmulos: são massas de nuvens individuais e globulares com aparência de cúpulas salientes.
Estratos: são camadas que cobrem todo ou grande parte do céu.

Podemos dizer que, toda e qualquer nuvem retrata uma dessas formas básicas ou uma combinação delas.

CLASSIFICAÇÃO DAS NUVENS PELA FORMA DE DESENVOLVIMENTO

Com base no critério da forma de desenvolvimento podemos classificar as nuvens em dois tipos:

- Nuvens Estratiformes: elas são produzidas por levantamento brando sobre áreas extensas, se espalham lateralmente.
- Nuvens cumuliformes: são as nuvens de desenvolvimento vertical, que geralmente cobrem pequenas áreas e são associadas com levantamento vigoroso.

CLASSIFICAÇÃO DAS NUVENS PELA ALTITUDE

Com base no critério da altitude em que se encontram, as nuvens podem ser classificadas como nuvens baixas, nuvens médias e nuvens altas.

NUVENS BAIXAS
As nuvens baixas são aquelas que se encontram a menos de 2000 metros de altitude.
Dentre elas podemos destacar as seguintes:

Estratos (St): essas nuvens lembram um nevoeiro, mas ficam mais distantes do solo. É uma camada baixa, uniforme e cinza. Pode produzir chuvisco.

Nuvens estratos ou stratus (St) - baixas e estratiformes

Estratos-cúmulos (Sc): essas nuvens são cinzas e formam uma camada em forma de rolos ou em formas globulares. Normalmente consegue-se ver o céu azul nos espaços entre elas.

Nuvens estratos-cúmulos (Sc) - baixas e estratiformes

Nimbos-estratos (Ns): essas nuvens formam uma camada amorfa de nuvens cinzentas que se precipitam sob a forma de chuva ou neve. É uma das nuvens mais associadas à precipitação.

Nuvens nimbos-estratos (Ns) - baixas e estratifoemes

Cúmulos (Cu): São nuvens densas, com contornos salientes, ondulados e bases frequentemente planas. Essas nuvens se desenvolvem na vertical (cumuliformes) e sua parte superior lembra a estrutura de uma couve-flor. Quando elas se apresentam pequenas, sem se desenvolverem na vertical, é indício de tempo bom. Quando há um desenvolvimento vertical grande, elas trazem chuvas, inclusive de granizo.

Nuvens cúmulos (Cu) - baixas e de desenvolvimento vertical - cumuliformes


NUVENS MÉDIAS
As nuvens médias são aquelas que se encontram entre 2000 metros e 6000 metros de altitude.
Dentre elas podemos destacar as seguintes:

Altos-cúmulos (Ac): São nuvens que vão do branco ao cinza e são constituídas de glóbulos separados ou ondas. Essas nuvens parecem pratos rasos ou tufos de algodão organizados em fileiras.

Nuvens altos-cúmulos (Ac) - médias e estratiformes

Altos-estratos (As): Essas nuvens formam uma camada uniforme branca ou cinza, que pode produzir precipitação muito leve.

Nuvens altos-estratos (As) - médias e estratiformes


NUVENS ALTAS
As nuvens altas são aquelas que se encontram entre 6000 metros e 15000 metros de altitude.
Dentre elas podemos destacar as seguintes:

Cirros (Ci): Nuvens finas, delicadas, fibrosas, formadas de cristais de gelo. Geralmente são delgadas e brancas, lembram caudas de cavalos.

Nuvens cirros (Ci) - altas e estratiformes

Cirro-cúmulos (Cc): geralmente são delgadas e brancas, de cristais de gelo. Essas pequenas nuvens brancas se dispõem em fileiras na forma de ondas ou massas globulares. Popularmente são conhecidas como “céu de cavalas”. É a menos comum das nuvens altas.

Nuvens cirro-cúmulos (Cc) - altas e estratiformes

Cirro-estratos (Cs): São nuvens brancas de cristais de gelo que formam uma camada fina e que podem dar ao céu um aspecto leitoso. Podem produzir halos em torno do sol ou da Lua.

Nuvens cirro-estratos (Cs) - altas e estratiformes

Cúmulos-nimbos (Cb): essas nuvens são cúmulos que subiram e alcançaram uma altitude entre 9000 e 15000 metros de altitude. Tem a mesma forma que os cúmulos, são de desenvolvimento vertical (cumuliformes) e são de cristais de gelo. Devido à distância têm a aparência de montanhas. Os cúmulos-nimbos estão associados a chuvas muito fortes, relâmpagos, tornados e granizo. São conhecidas como “nuvens de trovoada”.

Nuvens cúmulos-nimbos (Cb) - altas e cumuliformes - desenvolvimento vertical

OBSERVAÇÕES

1 - Note que as nuvens altas são formadas por minúsculos cristais de gelo, ao contrário das nuvens baixas e médias que são formadas por gotículas de água.
2 - Como há mais vapor d’água disponível em altitudes mais baixas, as nuvens médias e baixas são mais densas que as altas.
3 - As altitudes que delimitam as faixas acima não são números fixos. Há variações sazonais e latitudinais. Em altas latitudes ou durante o inverno em latitudes médias as nuvens altas são geralmente encontradas em altitudes menores.
4 - A menos das nuvens cúmulos e cúmulos-nimbos, que são cumuliformes (desenvolvimento vertical), todas as outras são estratiformes (desenvolvimento lateral).
5 - Nimbos-estratos e Cúmulos-nimbos são as nuvens responsáveis pela maioria das precipitações.
Bibliografia: Vesentini, J. Willian & Vlach, Vania – Geografia Crítica – Vol I – Ed. Ática – 13ª Edição.

Artigos Recomendados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem uma história para contar, conte aqui. Se for divertida, não ofensiva nem agressiva poderá ser publicada. Mas se quiser apenas ler, fique à vontade!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...