A flexão de grau dos adjetivos. Comparativo e Superlativo.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Palavra variável que é, o adjetivo se flexiona em grau. Saiba como funcionam as relações de comparação entre substantivos que estão sendo modificados e adjetivos que os modificam.


Variação de grau dos adjetivos.
by Roberto M.
Já vimos em outros artigos que adjetivo é uma classe de palavras que modifica o substantivo, atribuindo-lhe um estado, qualidade ou característica. Portanto, os adjetivos, também, se referem aos seres e a distinção entre substantivo e adjetivo se faz de forma funcional, ou seja, pela função que exercem no contexto da frase. Relembre esses conceitos lendo “A diferença entre substantivo e adjetivo”.

Ao modificar o substantivo, o adjetivo, assim como ele, se torna uma palavra variável. Desse modo, se flexiona em gênero, número e grau.
Se quiser, leia os artigos que falam sobre a “Flexão de gênero dos adjetivos” e sobre a “Flexão de número dos adjetivos”.

Hoje, vamos falar sobre a flexão de grau dos adjetivos.
A variação de grau é a flexão mais complexa dos adjetivos. Ela trata da relação de igualdade, de superioridade ou de inferioridade entre os seres (substantivos) que estão sendo modificados pelos adjetivos.
Na língua portuguesa, são dois os graus dos adjetivos: o Comparativo e o Superlativo.


GRAU COMPARATIVO


Como o próprio nome indica, o adjetivo no grau comparativo tem a função de:

- comparar uma qualidade entre dois ou mais seres;
Exemplo: A moça era tão alta quanto o namorado. - comparamos a mesma qualidade (alta) entre dois seres (moça e namorado).

- comparar duas ou mais qualidades de um mesmo ser.
Exemplo: A moça era tão bonita quanto educada. – comparamos duas qualidades (bonita e educada) de um mesmo ser (moça)

O grau Comparativo tem três categorias, ou seja, ele pode ser de Igualdade, de Superioridade ou de Inferioridade.


1 - COMPARATIVO DE IGUALDADE


Os substantivos (ou os adjetivos, no caso da comparação de duas qualidades de um mesmo ser) estão no mesmo nível.
Forma-se assim: TÃO + ADJETIVO + QUANTO (COMO)
Exemplos:
A moça é tão bonita quanto seu namorado .
O garoto é tão inteligente quanto educado.


2 - COMPARATIVO DE SUPERIORIDADE


O primeiro ser (ou o primeiro adjetivo) está em um nível superior ao segundo.
Forma-se assim: MAIS + ADJETIVO + QUE (DO QUE)
Exemplos:
A moça é mais bonita (do) que seu namorado.
O garoto é mais inteligente (do) que educado.


3 - COMPARATIVO DE INFERIORIDADE


O primeiro ser (ou o primeiro adjetivo) está em um nível inferior ao segundo.
Forma-se assim: MENOS + ADJETIVO + QUE (DO QUE)
Exemplos:
A moça é menos bonita (do) que seu namorado.
O garoto é menos inteligente (do) que educado.


4 – OBSERVAÇÕES


O comparativo de superioridade possui formas sintéticas especiais para os adjetivos Bom, Mau, Grande e Pequeno quando usados para comparar a mesma qualidade entre dois seres, quais sejam:
Melhor em lugar de Mais bom - (A moça é melhor do que seu namorado)
Pior em lugar de mais mau - (A moça é pior do que seu namorado)
Maior em lugar de mais grande – (A moça é maior do que seu namorado)
Menor em lugar de mais pequeno – (A moça é menor do que seu namorado)

Entretanto, quando comparamos duas qualidades de um mesmo ser, devemos usar a forma analítica
Exemplos:
Aquela casa é mais grande do que confortável.
O garoto é mais bom do que agressivo.
O garoto é mais pequeno do que magro.


GRAU SUPERLATIVO


O grau superlativo tem a função de indicar uma qualidade em grau muito elevado ou intenso.
Exemplos:
O garoto é o aluno mais feliz do colégio.
O garoto é muito feliz.
Em ambos os exemplos acima, o adjetivo feliz aparece em grau muito intenso, isto é, no superlativo.

Analisando melhor os dois exemplos acima, podemos perceber uma diferença entre eles e dizer que o superlativo pode ser:
- Relativo: quando a qualidade de um ser é intensificada em relação a um conjunto de seres.
- Absoluto: quando a qualidade de um ser é intensificada sem relação com outros seres.


1 – SUPERLATIVO RELATIVO


A intensificação da qualidade de um ser em relação a um conjunto de seres, geralmente, se apresenta na forma analítica e pode ser de: superioridade ou inferioridade.


1.1 – SUPERLATIVO RELATIVO DE SUPERIORIDADE


Geralmente é formado assim: SUBSTANTIVO + O MAIS + ADJETIVO + UNIVERSO DE SERES
Exemplos:
O garoto é o mais inteligente da escola.
A garota é a mais bela do bairro.


1.2 – SUPERLATIVO RELATIVO DE INFERIORIDADE


Geralmente é formado assim: SUBSTANTIVO + O MENOS + ADJETIVO + UNIVERSO DE SERES
Exemplos:
O garoto é o menos inteligente da escola.
A garota é a menos bela do bairro.


1.3 – OBSERVAÇÕES


- No superlativo relativo, além dos advérbios de intensidade (mais, menos), os artigos (o, a, os, as) têm destaque especial.

- Assim como o grau comparativo, o grau superlativo relativo dos adjetivos bom, mau, grande e pequeno também se expressa com palavras especiais:
O melhor em lugar de o mais bom – (O garoto é o melhor da escola).
O pior em lugar de o mais mau – (O garoto é o pior da escola).
O maior em lugar de o mais grande – (O garoto é o maior da escola).
O menor em lugar de o mais pequeno – (O garoto é o menor da escola).


2 – SUPERLATIVO ABSOLUTO


A intensificação da qualidade de um ser, sem que haja a relação com outros seres, se apresenta de duas formas: analítico e sintético.


2.1 – SUPERLATIVO ABSOLUTO ANALÍTICO


O superlativo absoluto analítico se apresenta quando temos o adjetivo modificado, quase sempre, por um advérbio. A intensificação se faz com o auxílio de palavras que dão ideia de intensidade (muito, extremamente, etc.).
Exemplos:
O garoto é muito inteligente.
O garoto está extremamente feliz.


2.2 – SUPERLATIVO ABSOLUTO SINTÉTICO


O superlativo absoluto sintético se apresenta quando temos o adjetivo acrescido de um sufixo. A intensificação se faz pelo acréscimo dos sufixos [-íssimo], [-rimo], [-imo], etc.
Exemplos:
O garoto é inteligentíssimo.
A prova estava dificílima.


2.3 – OBSERVAÇÕES


- Assim como o grau comparativo, o grau superlativo absoluto dos adjetivos bom, mau, grande e pequeno também se expressa com palavras especiais:
Ótimo (bom) – (O garoto é ótimo).
Péssimo (mau) – (O garoto é péssimo).
Máximo (grande) – (O valor é máximo).
Mínimo (pequeno) – (O valor é mínimo).

- As palavras supremo (ou sumo) e ínfimo correspondem, respectivamente, aos superlativos sintéticos de alto e baixo.

- A tendência popular é formar o superlativo absoluto sintético acrescentando-se o sufixo [-íssimo]: pobre=pobríssimo; amigo=amiguíssimo. A língua culta, entretanto, prevê formas eruditas: pobre=paupérrimo; amigo=amicíssimo.

- Fiz um artigo especialmente para falar do superlativo absoluto sintético, veja nele “as principais regras de formação e uma lista com alguns dos principais superlativos absolutos sintéticos eruditos.

Artigos Recomendados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem uma história para contar, conte aqui. Se for divertida, não ofensiva nem agressiva poderá ser publicada. Mas se quiser apenas ler, fique à vontade!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...