A Cadeia Alimentar e o Homem. Seres Vivos Produtores, Consumidores e Decompositores.

sábado, 17 de outubro de 2015

A cadeia alimentar é uma sequência que mostra quem se alimenta de quem na natureza. Descubra o que são seres vivos e o que é cadeia alimentar. Saiba quais são seus papeis no equilíbrio ambiental.


Esquema indicando a cadeia alimentar: do clorofilado produtor aos consumidores primários, secundários, terciários, quaternários, etc.
by Roberto M.
Em um sentido amplo, podemos dizer que a natureza equivale ao mundo natural, ou seja, ao universo físico.
Tudo o que existe nesse universo físico compõe o que chamamos de natureza e, a essas coisas que compõem a natureza damos o nome de seres.
Dentre os seres existentes na natureza estão os seres vivos e os seres não vivos (brutos).

Seres vivos são aqueles que nascem, crescem, se reproduzem e morrem, como os animais (inclusive o homem), fungos, plantas, algas, protozoários e bactérias.
Seres não vivos são aqueles que estão na natureza, mas não possuem vida, são inanimados, como o ar, a água, o solo e as pedras. Os objetos construídos pelo homem como os carros, as roupas, os computadores, os brinquedos e vários outros podem ser considerados como seres não vivos.

Foto mostrando seres não vivos. Coisas inanimadas. Minerais como água, pedra, solo, etc.

Sabemos que, dentro desse universo, todos os seres vivos precisam de energia para produzir as substâncias necessárias à manutenção de suas vidas, bem como para se reproduzirem.
E essa energia é obtida através do equilíbrio ecológico advindo da interação, das trocas e das relações que os seres vivos estabelecem entre si e com o ambiente.

Os seres vivos respiram, vivem sobre o solo ou na água, obtêm alimento, aquecem-se com o calor do Sol, abrigam-se, reproduzem-se, morrem, se decompõem etc.
Nesses processos, o ar, o solo, a água e a luz solar interagem de forma intensa com as plantas, os animais e os demais seres vivos. Os seres vivos também interagem entre si.

Toda essa interação garante a dinâmica de vida da biosfera: os seres vivos necessitam de energia para sobreviver; essa energia é obtida a partir dos alimentos extraídos do meio ambiente e temos, assim, um fluxo de energia dentro do ecossistema.
O fluxo de energia começa com produtores e vai em direção a decompositores, passando por vários níveis tróficos (alimentares). Os decompositores reciclam a matéria orgânica e o ciclo recomeça.

A esse fluxo de energia que garante a alimentação e a sobrevivência dos seres vivos damos o nome de Cadeia alimentar ou cadeia trófica.

A CADEIA ALIMENTAR E SUA CLASSIFICAÇÃO

Mas vamos explicar tudo isso melhor.
Outro dia, em outro artigo, falei sobre a “Fotossíntese e respiração, uma interdependência vital na biosfera”.
Quem quiser pode ir lá e relembrar, pois são exatamente a fotossíntese e a respiração que desempenham os principais papeis resultantes na formação de cadeias alimentares.

Numa cadeia alimentar, temos em primeiro lugar os chamados produtores, que são as plantas e as algas (seres vivos clorofilados).
Os produtores são os seres vivos que realizam a fotossíntese e produzem seu próprio alimento a partir da luz solar, da água e dos sais minerais do solo. Eles não precisam de matéria orgânica para se alimentar.

Os vegetais são os seres vivos Produtores dentro da cadeia alimentar. Eles produzem seu próprio alimento através da fotossíntese.

Já os animais necessitam das plantas para sobreviver, pois não conseguem produzir sozinhos o alimento. Sem matéria orgânica os animais não sobreviveriam. São os chamados consumidores.
Os animais herbívoros são os primeiros a consumir a matéria orgânica produzida pelas plantas. Os animais herbívoros (que se alimentam de plantas, como o boi, a girafa, o cavalo) são os consumidores primários.

Boi se alimentando com grama. Os herbívoros são consumidores primários dentro da cadeia alimentar.

Quando um animal carnívoro nutre-se de um animal herbívoro (como é o caso do tigre, do leão, do tubarão) ele é classificado como um consumidor secundário.

Foto mostrando um tigre se alimentando de uma zebra. O herbívoro, consumidor primário, servindo de alimento para o carnívoro, consumidor secundário

Outros carnívoros alimentam-se de consumidores secundários. Eles são os consumidores terciários.
Os consumidores quaternários são aqueles que se alimentam dos terciários. Cada um desses níveis – primário, secundário, terciário etc. – é chamado de nível trófico ou alimentar.

Esquema mostrando um exemplo de cadeia alimentar. Os vegetais como produtores, o gafanhoto como consumidor primário ao comer o vegetal. A aranha como consumidor secundário ao comer o gafanhoto. A lagartixa como consumidor terciário ao comer a aranha. O pássaro como consumidor quaternário ao comer a lagartixa,

Mesmo os animais carnívoros dependem indiretamente das plantas.
Ao se alimentarem de animais herbívoros, eles acabam consumindo as substâncias orgânicas que as plantas produziram.
Dessa forma, o ponto de partida para se estabelecer uma cadeia alimentar é a fotossíntese, processo em que as plantas, utilizando energia solar, transformam elementos minerais em substâncias orgânicas.

Os vegetais são os únicos seres vivos que realizam essa atividade, básica para a existência dos animais.
Os animais, portanto, precisam das plantas para sobreviver.

Existem ainda os decompositores, ou seja, seres que decompõem os organismos mortos.
São seres muito pequenos, que existem principalmente na terra e na água, como os fungos e as bactérias, e que geralmente só podem ser vistos ao microscópio. Eles atacam e decompõem os restos de seres vivos (corpos de animais, folhas e galhos de árvores que caíram, etc.).

Foto mostrando uma laranja em decomposição através de fungos. Os fungos são decompositores dentro da cadeia alimentar

Essa decomposição é essencial para as plantas.
As plantas não conseguem extrair elementos nutrientes de restos de vegetais e animais, mas com a decomposição o solo ganha novamente os elementos minerais que elas utilizam para produzir seu próprio alimento.

À interação entre as várias cadeias alimentares damos o nome de Teia Alimentar.

O homem é ao mesmo tempo um animal herbívoro e carnívoro. Ele é uma parte da cadeia alimentar.
Só que, ao contrário dos demais seres vivos, não se limita a, simplesmente, viver na natureza. Ele altera o meio ambiente: represa ou canaliza rios, derruba árvores e florestas, constrói pontes e túneis em áreas montanhosas, etc.

Essa capacidade do homem, de alterar o ecossistema, faz muita gente pensar que a humanidade está acima da natureza.

Ledo engano

Por mais que o homem consiga modificar a natureza, ele sempre continuará dependendo dos demais seres vivos para sobreviver.

O ser humano é um ser vivo, e como tal, respira, vive sobre o solo, obtêm alimento, aquece-se com o calor do Sol, abriga-se, reproduz-se, morre e se decompõe. Vira nutriente para o solo, de onde as plantas tiram os elementos minerais que elas utilizam para produzir seu próprio alimento através da fotossíntese.

O ser humano sempre será um simples elo na cadeia alimentar da biosfera.
Bibliografia: Vesentini, J. William e Vlach, Vânia - Geografia Crítica - volume 1 - 13ª Edição - Editora Ática.

Artigos Recomendados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem uma história para contar, conte aqui. Se for divertida, não ofensiva nem agressiva poderá ser publicada. Mas se quiser apenas ler, fique à vontade!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...