Para que nós existimos? Três visões diferentes dessa questão. (4)

quinta-feira, 7 de outubro de 2010


by Telma M.
Após concluir a pesquisa sobre a Origem do Universo eu me senti na obrigação de conduzir esta segunda pesquisa de forma tão científica quanto a primeira, mas descobri que isso é praticamente impossível.
“Para que nós existimos” é uma dúvida subjetiva e filosófica. Não que as Origens do Universo sejam coisas que podemos procurar
numa enciclopédia e encontrar uma resposta clara, objetiva e conclusiva. Não, isso não. Quem leu minha postagem sobre as origens do Universo sabe que falta muito ainda para que os cientistas tenham certeza absoluta de alguma coisa, entretanto falar sobre os motivos pelos quais nós existimos é coisa muito mais filosófica.
Eu descobri algumas hipóteses tão frágeis que não vale a pena depositar nossa crença nelas; melhor encarar de forma mais descontraída essa questão.
Vou fazer então, algumas divertidas considerações sobre os motivos pelos quais nós os seres humanos fomos criados, ou, para que nós existimos.
São três visões, uma psicológica outra racionalista e a minha.

Uma visão psicológica da razão pela qual nós existimos

Há quem diga que o som não existe, porque se um objeto cair no chão e não houver ninguém por perto com um ouvido para ouvir o som que esse objeto fez ao cair, então o som não aconteceu. Seguindo o mesmo raciocínio, se não houver ninguém com olhos para olhar uma imagem, então essa imagem não existe e se não houver uma mão repleta de nervos sensitivos para perceber um objeto ao tato, esse objeto não existe. A conclusão do indivíduo que pensou esses pensamentos foi que se não houver alguém para perceber o mundo, então o mundo não existe.
Então se o mundo não existe, onde é que nós vivemos?
Eu pergunto: se o mundo não existe, então nós não existimos?
Neste caso o assunto está encerrado por absoluta falta de argumentos e de interesse. Se nós não existimos, então não tem ninguém aqui para ter dúvidas.
Um momento! Se eu não existo, então quem está escrevendo? Ai meu Deus! Tem um fantasma digitando no meu computador!

Uma visão racionalista sobre a razão pela qual nós existimos

Paradoxalmente a visão racionalista usa um pouco de ficção estilo Matrix e um pouco da filosofia de Descartes (filósofo, físico e matemático francês) conhecido por sua sugestão em reunir a álgebra com a geometria. Esse cientista disse a famosa frase: “penso logo existo”.
Inicialmente ele duvidou metodicamente de tudo, até de seus próprios sentidos e existência. Ele propôs a existência de um gênio maligno empenhado em enganar nossos sentidos e que para sermos enganados nós teríamos que existir, pois alguém só pode ser enganado se existir, logo ele concluiu: “penso logo existo”.
Mas ainda não podemos saber qual a razão de nossa existência, apenas ficou provado que nós existimos. Mas isso eu já sabia, apesar de a visão psicológica ter provado o contrário...

Uma visão particular

Eu acredito que o motivo pelo qual nós existimos (considerando que existimos mesmo e não somos apenas resultado de um sonho ou pesadelo Divino), é para poder consumir todo o chocolate que existe no mundo.
Pode ser também para divertir uma divindade infanto-juvenil sentado na platéia de um teatro de marionetes.
Conclusão: Não há como saber para quê nós existimos de uma forma científica. Pelo menos não por enquanto. Vamos continuar buscando respostas, se alguém souber de alguma pista que possa esclarecer nossas dúvidas transcendentais, por favor, nos comunique para que nós possamos esclarecer o resto da humanidade.

Veja também as outras partes deste conto :        (1)          (2)        (3)
Artigos Recomendados:

10 comentários:

  1. kkkkkkkkk
    gargalhei com sua visão particular - consumir todo chocolate rsrsrsrs
    concordo com vc: não tem como saber para quê nós existimos. Estamos muito longe de esclarecer essa dúvida.

    ResponderExcluir
  2. Estamos aqui para sofrer.
    Quando crianças sofremos com coisas que pensamos ser importantes, mas não são: como monstros, lições de casa não feitas, querer ser mais velho
    Quando adolescentes, sofremos com coisas que julgamos ser importantes, mas não são: o primeiro amor não correspondido, o desejo de se libertar dos mais velhos, que são "uns chatos", a vontade de ser mais velho
    Quando adultos, sofremos com coisas que parecem importantes, mas não são: o dinheiro, os problemas nossos e dos outros, querer se aposentar
    Quando idosos, pra variar, sofremos com coisas não muito importantes: dores, falta de vontade, vontade de ser criança...
    E assim é o ciclo, agora se vc conhece alguém que não pensa assim me apresenta, que esse sim é um otimista!!

    ResponderExcluir
  3. Realmente é muito complexo esse nosso mundo e onde ele vive"universo".
    Se Deus realmente existe...quando eu morrer vou cobrar explicações sobre essas nossas perguntas que nós mortais não temos respostas,só mesmo depois da morte...se é que existe mesmo a morte ou só passamos mesmo de um pedaço de carne com osso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É só ler a bíblia, a resposta do que perguntarás à Deus está lá! <3

      Excluir
  4. Gabriel,na minha opinião não existe isso de "coisas que pensamos ser importantes",se você se importa com algo é pq isso é importante para você.
    Acho errado essa forma como você olha para a vida,apesar de existir o sofrimento também existem outros sentimentos como felicidade,amor,ódio,etc.
    Agora se você é uma pessoa que somente faz coisas que trazem o sofrimento logicamente você ira sofrer.
    Na minha opinião devemos viver simplesmente pela oportunidade unica que temos de estarmos vivos, buscando oq nos torna felizes,mesmo as pequenas coisas,como rir de uma piada,dar um beijo em quem se ama,etc.
    Como diz aquela velha frase "A vida é feita de pequenos momentos",são nesses pequenos momentos em que encontramos a verdadeira felicidade.
    =D

    ResponderExcluir
  5. Meu caro, parabens pelo conto. Muito bom mesmo.
    Realmente é muito complexo isso. Pessoas e mais pessoas que passarem por esse humilde planeta chamado terra irão morrer sem saber dessas respostas. É um assunto muito bom. Mexe mesmo com nossa imaginação. "O que nós estamos fazendo aqui?" "De onde nós vinhemos?" "E se nós não existíssemos, o que seria? Quem estaria por aqui, ou o que estaria por aqui?"
    Muito, Muito complexo.
    Enfim, volto a te parabenizar, realmente um conto muito bom.

    ResponderExcluir
  6. De acordo com a primeira visão, existimos para o Universo também poder, de alguma forma, existir. Existimos para dar valor as coisas, dar um sentido a elas. Se nós ou algo semelhante a nós não existisse, as coisas não teriam porque existir, e poderiam simplesmente não existir, não faria diferença.

    ResponderExcluir
  7. Depende como pensam, se tem fé tem razão,se tem a sua razão, a razão da sua fé tem sentido
    Só podemos responder se tivermos fé, e cada um que tem fé tem a sua resposta, eu tenho a minha

    ResponderExcluir
  8. existimos para sustentar alguém,alguém que descobriu os mistrios que todos nós buscamos que descobriu as respostas que estamos correndo atras,este cara abusa de nossas tecnologias e ideias a seculos somos como maquinas projetados para trabalhar vencer para outros e depois morrer.

    ResponderExcluir
  9. Olá, caro Amigo! Tudo ok? Já eu acho que "existimos", provada a existência de Deus, para a existência dele ter sentido. Pois do que adiantaria um Deus existir apenas para si mesmo? Eu lhe sugiro a "filosofia iluminista". Abraços!

    ResponderExcluir

Se você tem uma história para contar, conte aqui. Se for divertida, não ofensiva nem agressiva poderá ser publicada. Mas se quiser apenas ler, fique à vontade!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...