Parque Trianon. Ainda tem Mata Atlântica em plena Avenida Paulista.

sábado, 1 de setembro de 2012

O Parque Siqueira Campos, mais conhecido como Parque Trianon, é um verdadeiro "oásis" em meio à turbulência da Avenida Paulista. Veja seus atrativos e um pouco de sua história.


Parque Tenente Siqueira Campos - Trianon
by Roberto M.
A Avenida Paulista é um dos principais logradouros da cidade de São Paulo, capital do Estado de mesmo nome. Localizada no espigão central da metrópole, é o maior centro financeiro da cidade.
Além de um grandioso polo econômico, com sedes de empresas, consulados, bancos, hotéis e hospitais, em dezenas de imensos prédios de concreto armado, a Avenida Paulista é também um excelente centro cultural e de entretenimento com várias escolas, teatros e museus.

Movimentam-se diariamente pela Avenida Paulista milhares e milhares de pessoas oriundas de todas as regiões da cidade e, porque não dizer, do mundo.
Exatamente no meio de todo esse alvoroço, às vezes passando até desapercebido, localiza-se o Parque Tenente Siqueira Campos, chamado pela população paulistana de Parque Trianon.

As árvores do Parque Trianon.

O Parque Trianon constitui-se em um importante espaço verde, incrustado no centro de uma das avenidas mais movimentadas do Brasil e, quiçá, do mundo.
Com uma área de 48 600 m2, o parque divide-se em duas partes, que são unidas por uma ponte sobre outra movimentada rua da capital paulista, a Alameda Santos. É a única reserva remanescente da Mata Atlântica da região.

Planta do Parque Trianon com suas duas partes cortadas pela alameda Santos.

O Parque Tenente Siqueira Campos, mais conhecido como Parque Trianon, foi inaugurado em 3 de abril de 1892, com o nome de Parque Villon em homenagem ao seu paisagista (o francês Paul Villon), que se inspirou no estilo dos jardins ingleses para projetá-lo.

Durante sua existência, o parque recebeu vários nomes.
Nos documentos oficiais antigos era chamado de Bosque da Avenida Paulista, mas popularmente passou a ser conhecido como Trianon devido ao nome de um salão de danças e um belvedere que existiam em frente ao parque. Em 1931 recebeu o atual nome em homenagem a um oficial do exército (Antonio de Siqueira Campos, um dos heróis da Revolta Tenentista).

Os caminhos internos do Parque Trianon

Chegou a ser, por muito tempo, numa época em que a região era considerada afastada do centro da cidade, ponto de encontro da elite Paulistana, que aos domingos o visitava em busca de tranquilidade.
Em 1968, a partir de um projeto do paisagista Burle Marx, o parque passou por intervenções significativas e em 1981 foi tombado como patrimônio histórico e cultural pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do estado de São Paulo (Condephaat).

O parquinho de diversões infantil do Parque Trianon.

Passeando pelo Parque Trianon, o turista pode encontrar várias espécies nativas da Mata Atlântica, tais como: pau-brasil, pau-ferro, jequitibá, jatobá, embaúba, castanha do maranhão, paineira, canela, sapucaia, sibipiruna, guapuruvu, araribá, eritrina, quaresmeira, manacá da serra, juçara, jerivá e chichá.

O Parque Trianon é a única reserva remanescente da Mata Atlântica da região.

Há também várias espécies exóticas, provenientes de outros países: figueira, espadótea, chorão, tamareira, palmeira-leque, arecabambu, seafórtia, falsa-seringueira, abacateiro, mangueira, entre outras. Sem contar, as mudas de café, plantadas em homenagem aos barões do café que residiam na região.

Não é de se estranhar, que essa variada vegetação atraia as mais diferentes espécies de pássaros. Em um passeio pelo parque, não é difícil topar com: gavião carijó, urubu-cabeça-preta, quiriri, periquito-rico, alma-de-gato, João-de-barro, bem-te-vi, canário-sapé, cambacica, saíra-amarela, sabiá-barranca, sabiá-ferreiro e andorinha.

Algumas espécies de morcegos também são encontradas por lá: morcego-das-listras-brancas-na-cabeça, morcego-beija-flor, morcego-de-cauda-livre, morcego-de-rabo-cabeludo e o morcego-grisalho.

Em meio a tudo isso, pode-se encontrar, ainda, algumas obras artísticas, tais como a obra Fauno, de Victor Brecheret, esculpida em granito, em 1924 e a obra Aretusa, de Francisco Leopoldo da Silva, esculpida em mármore, em 1920.

Esculturas do Parque Trianon - Fauno de Victor  Brecheret e Aretusa de Francisco Leopoldo da Silva

Endereço Oficial do Parque: Rua Peixoto Gomide, n° 949
                                              Bairro: Cerqueira Cesar
Telefone: (11) 3289 - 2160
Horário de Funcionamento: 6h às 18h - todos os dias - Acesso Livre.
Bibliografia: Parque Trianon – Folder Roteiro - Trilhas Urbanas.

Artigos Recomendados:

Um comentário:

  1. Boa noite,

    Nossa eu adoro esse parque já tirei cochilos longos embaixo de suas árvores e fiz caminhadas em uma paz, que parece que estamos fora de São Paulo, fico maravilhada como há algo tão precioso dentre todo este concreto.

    Tenha uma ótima noite.

    ResponderExcluir

Se você tem uma história para contar, conte aqui. Se for divertida, não ofensiva nem agressiva poderá ser publicada. Mas se quiser apenas ler, fique à vontade!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...