Porque as pessoas gostam tanto de falar de outras pessoas? Porque fofocamos tanto?

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Por que fofocamos? Por que gostamos tanto de cuidar da vida alheia? Veja essa crônica filosófica sobre a arte da fofocagem: mediocridade das pessoas ou brilhantismo de ideias?


Falando da vida alheia: a arte da fofocagem.
by Telma M.
Uma pequena reflexão filosófica sobre os motivos que nos levam a praticar a arte da fofocagem, ou seja, contar fofocas, fazer fofocas, em suma fofocar.
O ser humano é mesmo estranho.
Eu chego a ter dúvidas se existe no Universo algum ser Supremo que seja capaz de compreender a nossa essência, mesmo sendo nosso criador.

 Dick Corrigan tem uma frase interessante que ilustra o que eu quero dizer: “Pessoas brilhantes falam de idéias. Pessoas medíocres falam de coisas. Pessoas pequenas falam de outras pessoas”.
Somos todos pequenos? Ser medíocre já é ruim, imagine ser ainda pior do que medíocre!
Ser pequeno é ter excesso de pouca inteligência, dizia minha tia, que achava muito agressivo dizer que alguém é burro.

A verdade é que somos muito contraditórios. Nós criticamos veementemente “os outros” quando falam “mal” da vida alheia, mas eu vivo me perguntando o que nós estamos fazendo quando transformamos o Big Brother num programa de tanto sucesso? Não estamos praticando a cultura do cuidar da vida alheia? (Aliás, alguém sabe quem vai participar do próximo BBB?)
Porque será que as pessoas fazem loucuras para saber da vida das celebridades? Não é para cuidar da vida alheia? (E por falar nisso, vocês viram a foto do bebê da Sheila Carvalho, que bonitinho?)

Porque os programas sobre fofocas da televisão estão sempre na mídia? Não é porque cuidam da vida alheia?
Porque lady Di, a princesa Diane de Gales, acabou morrendo? Não foi para fugir dos paparazzi que cuidavam da vida alheia?
As notícias sobre Lady Gaga estão entre as que dão mais “IBOPE”. E o BBB já faz sucesso antes mesmo de entrar no ar. E isso é cuidar da vida alheia.

Desconfio que nosso DNA traz o código da pequenez, pois é difícil ver um grupo de pessoas conversando animadamente sem que esteja falando de outras pessoas.
Desconfio, também, que nós temos excesso de “pouca inteligência” para falar de idéias e discutir ideais. Assim, o que nos resta é falar dos outros, assistirmos BBB, corrermos atrás de notícias sobre Lady Gaga e de outras pessoas famosas, cujas vidas não influenciam em nada a nossa própria vida.

Mas desconfio também que não é justo contestar as fofoqueiras (ou fofoqueiros), pois somos todos iguais, só que não percebemos quando somos nós quem praticamos a arte da fofocagem.
No fundo, mas não tão no fundo assim, nós todos sabemos que a razão de tanto sucesso da arte de fofocar somos nós mesmo, pois se não “comprássemos” as fofocas, elas não existiriam.


Artigos Recomendados:

8 comentários:

  1. Olá Telma!
    Muito bom o seu texto, minha querida!
    Essa é uma arte que já nasce mesmo gravada no DNA de todos. Penso sim que seria muita hipocrisia qualquer um apontar o dedo ao outro e acusá-lo de "fofocagem", aliás, o simples ato de apontar o dedo já é algo que precede a fofocagem.
    Muito bom mesmo, querida!
    Grande beijo,
    Jackie

    ResponderExcluir
  2. Que texto massa!
    Voce citou Lady GAGA, o BBB, e esqueceu um dos líderes (diria que nao seria mundial, mas aqui no Brasil é primeirissimo lugar, o ORKUT) AHAHAHAH.
    Será mesmo que isso faz parte do gene humano? Ou isso é coisa de alguem do passado, tipo (Caim e Abel), começou por lá viu? Caim bisbilhotando a vida do irmão, fez fofocas, e tals.

    :)
    abçs

    ResponderExcluir
  3. Amiga Telma, o fofoqueiro não é apenas aquele que inventa a fofoca, e sim aquele que ouve ou le acredita e sai espalhando sem ter certeza tornando assim um caluniador.

    ResponderExcluir
  4. Não sei como postar comentarios. Qual o perfil q devo escolher?

    ResponderExcluir
  5. Acho que você já conseguiu postar... Está perfeito. Muitos beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá queridos amigos, obrigada pela força! Esta semana eu estou comemorando o início dos primeiros comentários. É uma emoção indescritível só comparada ao nascimento do primeiro filho! Bjs

    ResponderExcluir
  7. boa reflexão!!
    certa vez ouvi alguem dizer que quando falamos mal do outro é porque gostariamos de ser igual..
    abraços..

    ResponderExcluir

Se você tem uma história para contar, conte aqui. Se for divertida, não ofensiva nem agressiva poderá ser publicada. Mas se quiser apenas ler, fique à vontade!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...