Sobre a primeira pesquisa: Qual a origem do Universo? (3)

sexta-feira, 27 de agosto de 2010


by Telma Manolio
Uma noite, pouco antes das dezoito horas, num mês de julho do ano de 2009, eu preparava um medicamento homeopático no laboratório de manipulação da farmácia onde era responsável técnica e estava de frente para a bancada de granito que ficava bem debaixo de uma grande janela de vidro. Enquanto dinamizava cuidadosamente o medicamento e
olhava para a janela pude perceber a passagem do tempo desde o dia ainda claro até a noite já escura.

A tarefa de dinamizar um medicamento homeopático exige bastanteatenção, pois é preciso segurar firmemente o vidro contendo a substância líquida e bater vigorosamente a mão sobre uma almofada por cem vezes. Esse processo pode se repetir muitas vezes até chegar ao medicamento desejado, portanto fica fácil perceber que há grandes riscos de errar. Eu criei uma técnica que eliminava a possibilidade de erros de contagem. Era uma técnica bastante simples, e que permitia que eu, às vezes tivesse uns lapsos de atenção, sem necessariamente errar na contagem. A técnica consiste em bater com uma mão enquanto abaixava um dos dedos da outra mão. A cada 20 batidas eu escondia um dedo da outra mão. São cinco dedos na mão, logo, 5 vezes 20 dá 100, o número de batidas que eu precisava. Eu contava em voz alta para não me perder. Era uma tarefa totalmente automática, mas não errava de forma nenhuma. Enquanto contava, meu espírito dava algumas escapadelas em viagens filosóficas. Naquele dia eu passei a tarde toda preparando um medicamento num processo bastante demorado. Foi por isso que vi lentamente a tarde ensolarada se transformar em noite escura. Um pensamento ficou martelando minha mente desde de então.

Durante as horas do dia eu via parte da rua e parte de alguns telhados das casas vizinhas. Via, também, um prédio ao longe, mas não conseguia distinguir bem as janelas. Quando a noite ia chegando eu percebi que ficava difícil ver os telhados, a rua, o prédio. No início parecia não existir nada lá fora, depois comecei a ver apenas estrelas e alguns pontinhos iluminados próximos do horizonte. Foi então que percebi que os pontos iluminados eram as janelas acesas do prédio. Eu só podia ver as luzes. Era como se o resto não existisse. Por alguns segundos cheguei a sentir-me sozinha no Universo, rodeada apenas de luzes. Os telhados desapareceram, a rua desapareceu, só ficaram as luzes do prédio e algumas estrelas distantes. Então pensei: “Como cientistas podem ter certeza de alguma coisa? O que se observa com telescópios são imagens que bem podem ser enganosas, fruto da imaginação.”

Está certo, eu não vou querer convencer ninguém de que os cientistas estão todos equivocados, de que tudo que vemos no céu à noite é pura imaginação, mas bem que me passa um pensamento de que tudo o que já se sabe sobre o Universo pode bem ser apenas uma fagulha de conhecimento, o que pode nos direcionar para o lado errado do raciocínio, formulando teorias absurdas baseadas em falhas de observação.
Afinal, o que se sabe sobre a origem do Universo?

Há mais do que uma hipótese sobre a origem do Universo, a mais popular parece ser a do Big Bang, mas há outras bastante convincentes e que deixam pulgas dançarinas pulando em nossas mentes. Tentarei resumir a lista das hipóteses mais discutidas na atualidade com o objetivo de formar minha própria hipótese e ajudar você a formar sua própria opinião. Isso mesmo, todas as pessoas precisam ter sua própria opinião. Ah, você é criança e não tem opinião ainda? Não se preocupe, você está estudando para isso, para ser capaz de formar suas próprias opiniões e não ficar acreditando em qualquer coisa que contam para você. Todos nós nascemos com uma potencial capacidade de raciocínio, às vezes a gente tem preguiça de usar essa capacidade, o que nos transforma em meros seguidores da opinião alheia, mas quando a gente resolve explorar nossos potenciais, descobrimos que temos mentes brilhantes e podemos ser quem quisermos, até um cara como Einstein ou Leonardo da Vinci ou uma lista de mulheres, que podemos ver no endereço abaixo: http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20070908164932AAcXYcs.

Na verdade fala-se em teorias, mas teoria é algo provado e comprovado, e nós sabemos que a origem do Universo não tem nada de comprovado, nem sei se um dia terá, portanto falaremos de hipóteses.
Universo é uma palavra que designa tudo, meu quarto de dormir pode ser meu universo, meu colégio pode ser meu universo, minha família pode ser meu universo, mas estou falando de Universo no sentido de espaço onde está inserido o planeta terra e seu satélite, a Lua, os outros planetas, nossa Via Láctea e tudo o mais. Neste sentido Universo significa... o espaço, matéria e energia.
A ciência que estuda o Universo é a Astronomia, a ciência que estuda a origem, estrutura e evolução do Universo é a Cosmologia. Não confunda Astronomia com Astrologia, esta última estuda os astros e suas posições, muito relacionadas com os signos zodiacais, bem distantes de nosso presente objetivo.

Muita gente andou estudando sobre a origem do Universo, Einstein foi um desses estudiosos, a Teoria da Relatividade, enunciada em 1914, mostrava a equivalência entre matéria e energia ( E = m.c2 ).
Depois, o astrônomo holandês Willen de Sitter demonstra em 1917 que o Universo está em expansão.
Em 1927 é a vez do astrônomo belga Georges Lemaitre sugerir que toda a matéria do Universo estava concentrada num único ponto, o ovo cósmico ou átomo primordial.
Edwin Hubble em 1929 enuncia uma lei que mostra que “A velocidade com que uma galáxia se afasta de nossa galáxia é diretamente proporcional à sua distância de nossa galáxia”, evidência de que o Universo está em expansão e que toda essa matéria esteve unida antes, confirmando a hipótese da singularidade ou ovo cósmico.
Os físicos americanos Arno Penzias e Robert Wilson detectam, em 1965, a radiação cósmica de fundo, equivalente à radiação emitida por um corpo negro a uma temperatura de 2,7K, ao estudarem ondas de rádio e detectarem a presença de “ruídos” estranhos.

Duas coisas parecem ficar evidentes com essa descoberta da radiação cósmica de fundo: a existência do Big-Bang, sendo esta radiação de fundo proveniente da transformação de massa em energia radiante, um resíduo do Big-Bang que deu origem ao Universo, e que 2,7K seria a temperatura atual média do Universo, anteriormente previsto por George Gamow em 1948.

A teoria do Big-Bang surgiu em 1950, proposta por Herman, Garnow e Alpher para explicar o início do Universo, admite que o Universo tem uma idade próxima de 15 ou 20 bilhões de anos, o que significa que houve um instante inicial de criação do Universo, quando uma imensa quantidade de energia contida numa esfera menor do que 1 cm de diâmetro pode ter sido liberada, dando início ao Universo em expansão. Uma redução uniforme e rápida da temperatura deu orígem a partículas e antipartículas (quarks e antiquarks), matéria e antimatéria, duas entidades que se aniquilam e formam enorme quantidade de energia na forma de fótons e obedecendo à equação de Einstein: E = m.c2. O Universo se originou do excesso de matéria em relação à antimatéria.

Após tres minutos da ocorrência da explosão do ovo cósmico, as trasnformações fundamentais já haviam ocorrido. Átomos de hidrogênio surgiram quando o Universo tinha a idade entre 300.000 e 1 milhão de anos. Antes de 1 bilhão de anos, entrou em ação a força gravitacional e as primeiras galáxias surgiram.
Resumo: o que é universo, teoria do big bang, qual a idade do universo, como tudo começou, quando surgiram os átomos

Veja também as outras partes deste conto:    (1)        (2)       (4)     


    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Se você tem uma história para contar, conte aqui. Se for divertida, não ofensiva nem agressiva poderá ser publicada. Mas se quiser apenas ler, fique à vontade!

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...